sexta-feira, março 31, 2006

Poluição

Costumo utilizar o barco entre o Cais do Seixalinho (Montijo) e o Terreiro do Paço (Lisboa), mas hoje, talvez por estar no início da fila, consegui um lugar à janela... Eram 9h da manhã, o sol espreitava por entre as nuvens e pensei: que bela manhã, que belo passeio vou ter até chegar à polis! Pensamento correcto, realidade errada! O catamaran deslocava-se sob as águas do estuário, quando olhei com atenção e reparei que afinal aquilo não era água... Era uma espécie de liquido castanho com espuma amarela... Continuei a olhar e durante toda a viagem (que demora cerca de 20 minutos) senti um arrepio na espinha... A paisagem era medonha, garrafas de um refrigerante conhecido, garrafas de uma água com gás conhecida, garrafas de plástico, esponjas, latas, madeira, objectos não identificados de metal, canas, sacos plásticos, pacotes de leite... Enfim, um sem número de porcaria capaz de encher (e não vou exagerar) 4 a 5 camiões de lixo.
Fala-se de poluição, mas não se fala da Poluição.

A Poluição não é algo que acontece, a Poluição somos nós...

quinta-feira, março 16, 2006

Bofetadas...

E quando de repente alguém diz:

- Cala-te que não te quero ouvir!
- Não me calo!
- Já te disse para te calares!
- Ninguém me manda calar e muito menos tu!
- Queres ver que te calas mesmo...

E levanta-se e dá-lhe uma bofetada!

- Não devias ter feito isso, filho da puta, agora vais levar nos cornos...

E dá-lhe uma bofetada ao mesmo tempo que lhe rasga a camisa ao puxar a gravata!
Voam cadeiras e alguns pontapés no ar, até serem interrompidos...

Tudo isto não passaria de normal num qualquer filme, duma qualquer novela, dum qualquer livro.... Mas não... Passou-se na minha empresa e entre o Director e o Gestor Financeiro!...