quinta-feira, dezembro 29, 2005

Um novo ano... 2006!

Mais um ano que acaba e o mundo ainda sobrevive... O ano que termina foi de um modo geral péssimo... Desilusões, angústias, medos! O ano que virá terá de ser melhor, vai ter mesmo de ser melhor! Vamos acreditar nisso, vamos encará-lo positivamente, pelo menos começará com uma lua nova... no dia 31 de Dezembro, às 3h 12m da madrugada iremos assistir a uma lua nova... Lua NOVA, esperança NOVA, ano NOVO... Está completa a triologia, que o espectáculo comece!

Fase actual da lua: 29/12/05 - 10h 12m - Visibilidade 4% - Idade: 27d 19h 9m - Distância: 371297 km

BOM ANO!

terça-feira, dezembro 13, 2005

O Natal

O Natal é uma quadra comercial, disso ninguém tem dúvida! Mas pior que isso é a grande maioria das pessoas pensar assim e não o admitir! Em Novembro já vemos as lojas todas decoradas, os anúncios de brinquedos a aumentar na TV, o Pai Natal pendurado em qualquer varanda, enfim, um exibicionismo sem eira nem beira! O Natal tornou-se naquilo que nunca se devia ter tornado, num centro de acção comercial que se enfia na nossa mente, na nossa alma e nos deixa vazios às duas da manhã do dia 25... Ontem envolvido neste espírito, que mesmo que não queira todos nos vemos envoltos, estava no centro comercial e vi crianças junto com os pais a comprar as respectivas prendas... Chegámos ao mais puro dos cinismos da sociedade, a futilidade, o vazio! Ontem, neste meu espírito crítico entrei no início da minha rua e pensei: "Estou em Las Vegas! Tanta luz, tantos néon, tanta animação... Onde ficará o casino?" Afinal não era mais que aquelas coisas pirosas e sem jeito que as pessoas compram para enfeitar as casas, estilo americanos! Um pavor! Lembro-me de outros tempos, não muito longe destes, onde cada dia que passava era menos um, numa contagem final sufocante, numa ansiedade fóbica... Na ceia de Natal quase não comia, tentava dormir para que as horas passassem mais depressa! Lembro-me de acreditarmos no Pai Natal... Lembro-me que tínhamos meia dúzia de prendas, uma mais apetecida que a outra, uma mais desejada que a outra! Hoje cada um tem 347... Dentro da consciência de cada um, desejo a todos os cúmplices leitores um feliz consumismo, uma feliz claustrofobia comercial, e acima de tudo, um FELIZ NATAL!