quarta-feira, novembro 16, 2005

Quatro dias no Gerês

Visitar o Gerês pela terceira vez é o mesmo que nunca o ter visitado. Cada vez que lá vou vejo as coisas novas, coisas antigas de maneiras diferentes, coisas modificadas. Quatro dias no Gerês a chover parece ser sinónimo de tempo perdido ou aborrecimento, mas não é! Quando estamos com as pessoas certas, nos locais certos, tudo pode funcionar, mesmo que a meteorologia não ajude. Quando nos isolamos num qualquer sítio, longe da civilização, longe da poluição, longe do barulho, longe da má educação, longe, a nossa alma desperta novamente os sentidos na sua mais pura essência. Á nossa volta vemos a natureza, ouvimos a silêncio, tacteamos a pureza, cheiramos a montanha, e degustamos a vida... Neste mundo diferente, somos mais Homens, somos mais Alma, somos mais Nós! E o Gerês tem esse encanto especial, tem magia, tem harmonia! E aconteceu há dias... Sentimo-nos especiais, privilegiados... Foi bom, foi muito bom!